Por que o silêncio pode destruir o seu relacionamento?

January 10, 2018

 

Ao longo dos anos que venho me dedicando à terapia de casais, descobri que o modo como os casais brigam em seus relacionamentos muitas vezes resulta em silêncio. Às vezes apenas uma das partes adia o que precisa ser conversado, mas, na maioria das vezes, parte de ambas as partes.

 

De qualquer maneira, tentar resolver as coisas através do silêncio não vai adiantar nada. Essa solução não é saudável, principalmente pela ausência de intimidade verbal e emocional que ocorre durante a pausa. A não ser que sejamos capazes de nos comunicarmos em um nível extra sensorial ou através da linguagem corporal, as palavras são as únicas ferramentas disponíveis para resolver um conflito.

 

Não faz muito sentido quando se está em um relacionamento recorrer ao silêncio. Além de sabotar a vida do casal, o silêncio também sufoca a necessidade de se expressar dos dois. Quando você pode expressar seus sentimentos livremente, as chances de se expressar de forma incorreta são bem menores.

 

Sentimentos ruins quando reprimidos podem causar problemas, porque durante o tempo em que o casal não conversa, o sentimento ruim pode crescer e, no final, o motivo da briga não importará mais tanto quanto aquilo que estão sentido no momento.

 

Contar para alguém que você está com raiva e explicar o porquê disso, geralmente, cortará o efeito da raiva. Além disso, a falta de verbalização e a repressão de sentimentos ao longo do tempo fazem com que você crie um ressentimento substancial com o seu parceiro. Se você não compartilhar de maneira apropriada os seus sentimentos, eles vão se externalizar de uma forma ou de outra, e você vai entrar em uma espiral de negatividade e silêncio.

 

Silêncio é controle

 

Quando pensamos sobre como controlar as outras pessoas, logo vêm à nossa mente imagens de indivíduos altos ou agressivos, pois achamos que eles conseguem exercer uma certa forma de controle sob os outros. No entanto, sabemos que essa não é a única forma de manter o controle sobre alguém. Há uma forma de controle bem mais insidiosa que pode ser feita através do silêncio.

 

Quando não compartilhamos nossos pensamentos com os outros é porque estamos, mesmo que inconscientemente, tentando obter um certo controle sobre a situação. Através do silêncio, podemos controlar o comportamento e as reações do outro. As pessoas geralmente ficam um pouco mais receosas em se manifestarem quando o outro está em silêncio; devido ao fato de não saberem como reagir frente à situação, a tendência é também escolher o silêncio.

 

Quando recorremos ao silêncio, criamos um monólogo interno no qual inventamos suposições sobre como o outro iria reagir se compartilhássemos o que queremos dizer; em outras palavras, fazemos um script inteiro em nossa mente presumindo como o outro reagiria.

 

Quando fazemos isso, ficamos estagnados, e mesmo que imaginemos estar fazendo algum progresso, não estamos, pois na verdade estamos apenas em silêncio. Nesses casos devemos partir para a ação. Do contrário, o script nunca sairá de nossa mente e a conversa nunca irá se desenvolver.

 

Em certas ocasiões, o silêncio é usado como forma de punição. Quando o silêncio está impregnado na relação, é difícil achar uma oportunidade para resolver o problema, pois ele obstrui todas as oportunidades. Nesses casos, o silêncio está sendo usado para controlar o comportamento do outro, agindo como um bloqueador de pensamentos e sentimentos que nos priva da possibilidade de ter um diálogo autêntico.

 

Além de criar um obstáculo gigante entre o casal, essa situação é péssima para a saúde da relação. O silêncio, em alguns casos, pode até levar ao desespero e à depressão. Ele sufoca o relacionamento, é altamente destrutivo, pois a expressão da voz é uma afirmação da vida.

 

As pessoas que geralmente preferem o silêncio podem tentar se defender, dizendo que “não adiantaria nada falar, pois o outro não escutaria”, ou que “tudo o que eu falar será usado contra mim”. Embora essa atitude seja compreensível, ela é altamente prejudicial. 

 

Mas felizmente não precisamos ficar atolados na areia movediça que é o silêncio, podemos aprender a habilidade que é ouvir e ser ouvido pelo outro, dessa forma não teremos mais problemas como o silêncio. Aprender a ouvir e ser ouvido pode parecer difícil, mas como todas as outras habilidades, essa também pode ser aprendida. (Psiconlinews)

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Em Destaque

Isso é liberdade

March 1, 2018

1/1
Please reload

Recentes

March 1, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Contato

Tire suas dúvidas pelo WhatsApp

Aline Banchieri 

Av. Brigadeiro Luís Antônio, 2909

Sala 71 - Jardim Paulista

CEP 01401-002 - São Paulo

 

+ 55 11 98402-5851

  • Facebook Social Icon

© 2018 por Wix